Pular para o conteúdo principal

CARTA PARA MINHA FILHA





Se daqui a 30 anos você, que estiver aqui lendo isso, encontrar esta carta por ai - amassada entre os móveis ou jogada no chão em algum canto da casa -, peço que entregue à minha filha, por favor.

Na verdade, ainda não sou pai. Só que mais cedo ou mais tarde isso irá acontecer, pois é o rumo natural das coisas para todos nós. No meu caso, ser pai, será mais que um simples agente do destino. Será algo desejado, pois adoro crianças, em especial as meninas. Em especial as gurias. Em especial as mulheres.

Mulher não tem medo de demonstrar seus sentimentos e emoções; mulher chora em filmes e músicas; mulher é naturalmente romântica; mulher vive sonhando; mulher fantasia. 

Quando eu for pai, quero ser pai de uma menina, e com tudo que se direito - do quarto enfeitado com bonecas até as crises de cólicas! 

Quero poder brincar com os vários tipos e formatos de cortes de cabelo, com os inúmeros modelos de vestidos, com os moderníssimos cremes para a pele e com os infinitos tons de esmaltes.

Mas o motivo desta minha carta, infelizmente, não é algo doce feito as mulheres, é outro bem amargo...
Estou aqui para pedir desculpas para você, minha filha!

Se daqui a 30 anos for como o hoje (data desta carta), me desculpe.

Desculpe pela sociedade que tentará te impor um papel secundário. Desculpe pelo desejo primitivo dos machos que julgarão a tua conduta moral pela roupa que irá usar. Desculpe pelas religiões que te colocam como submissa perante os homens. Desculpe pela mutilação genital...

Mil desculpas por todo esse machismo velado, minha filha!

Quero pedir desculpas também por você trabalhar tanto quanto nós homens, mas ganhar 30% a menos. Quero pedir desculpas pelos comerciais de cerveja que lhe tratam como objeto. Quero pedir desculpas pela necessidade de haver uma delegacia especial para você que é uma mulher. Quero pedir desculpas pelos meninos jogarem futebol na rua, sem camisa, e você se quer poder usar uma mini-saia sem ser apontada. Quero pedir desculpas pelo homem que separa a "mulher de trepar" da "mulher para casar". Quero pedir desculpas por quando vazar um vídeo íntimo seu, você ser taxada de puta e o rapaz sair como garanhão. Quero pedir desculpa pelas filhas machistas dos meus amigos, que você será obrigada a conviver.

Para finalizar, se você estiver lendo esta carta é por que passaram-se 30 anos e, assim como o meu pai, tios e avós, eu também falhei na missão da igualdade de gênero, então, quero pedir desculpas por ter sido capaz apenas de lhe pedir desculpas...desculpa, minha menina. 


- Destinatário: Valentina ou Maria ou Lorena 
(Ainda estou em dúvida do nome de minha futura filha)


                          - Remetente: Cleydson Ramones
Data: Outubro de 2015




                                                                                                                        



PS: Se você, especialmente mulher, gostou, não se intimida e compartilhe...grite para o mundo.


Postagens mais visitadas deste blog

CARTA ABERTA A ZENALDO

Belém, 27 de novembro de 2016.
Caro Prefeito,

Nada! Nada! Nada! Nada! Nada! Nada!
Nada! Nada! Nada! Nada! Nada! Nada!
Nada! Nada! Nada! Nada! Nada! Nada!
Nada! Nada! Nada! Nada! Nada! Nada!
Nada! Nada! Nada! Nada! Nada! Nada!
Nada! Nada! Nada! Nada! Nada! Nada!
Nada! Nada! Nada! Nada! Nada! Nada!
Nada! Zenada! Zenada! Zenada! Nada!
Nada! Nada! Nada! Nada! Nada! Nada!
Nada! Nada! Nada! Nada! Nada! Nada!
Nada! Nada! Nada! Nada! Nada! Nada!
Nada! Nada! Nada! Nada! Nada! Nada! 
Nada! Nada! Nada! Nada! Nada! Nada!
Nada! Nada! Nada! Nada! Nada! Nada!
Nada! Nada! Nada! Nada! Nada! Nada!
Nada! Nada! Nariz de Palhaço!!! Nada!
Nada! Nada! Nada! Nada! Nada! Nada!
Nada! Nada! Nada! Nada! Nada! Nada!
Nada! Nada! Nada! Nada! Nada! Nada! 
Nada! Nada! Nada! Nada! Nada! Nada! 
Nada! Nada! Nada! Nada! Nada! Nada!
Nada! Nada! Nada! Nada! Nada! Nada!
Nada! Nada! Nada! Nada! Nada! Nada!
Nada! Nada! Nanismo Político!!! Nada!
Nada! Nada! Nada! Nada! Nada! Nada!
Nada! Nada! Nada! Nada! Nada! Nada!
Nada! Nada! Nada! Nada! Nada! Nada!
Nad…

8 DE MARÇO

Ah, se as mulheres...

Soubessem como é bom encontrá-las despenteadas, como ficam provocantes andando descalças pela casa e que não precisam fingir dor de cabeça.

Soubessem que o mais simples vestido em seu corpo se torna deslumbrante, que muita maquiagem esconde a essência e que versões editadas são chatas.

As, se as mulheres...

Soubessem como é hipnotizante vê-las lambendo os dedos após comer algo, como é gostoso apertar aquela carninha sobrando em seu cintura e que o natural também nos comove. 

Soubessem que apenas um sorriso seu é mais valioso que mil DR's de mil horas, como ficam atraentes quando usam um de nossos blusões e que as vezes menos é mais.

Ah, se as mulheres...

Soubessem como são sensuais ao ficarem na pontinha do pé para pegar a lata de ervilha em cima do armário. Soubessem como o perfume que exala diretamente de seus poros nos embriaga. Soubessem que elas por si só já nos fascinam.

Ah, se as mulheres soubessem. 



( Cleydson Ramones )





MINHA PUTA LITERÁRIA

Cada trecho escrito, um gemido
Cada letra no papel, um sussurro

Vontade de ir mais fundo,
até a última linha
De lhe tirar o fôlego, as palavras
De fazê-la provar cada gota da caneta
De usar suas costas feito um papel, 
e assinar o meu nome

Minha
Ela gosta de ouvir - minha
"Repete, por favor" - minha

A escrita relembrando nossas transas
é um momento de suspiro,
de gozo
Uma mão no lápis,
a outra na imaginação
E o seu corpo nu na cama
é como um livro aberto
na minha página favorita

Minha
Quero ouvir a tua voz - "sua"
Repete, gemendo - "sua".



( Cleydson Ramones )